Doce Mania

Não há quem resista à doce mania de doces. Indiscutivelmente tentadores, eles são o terror de qualquer dieta. E não é para menos: além de deliciosos, os doces são comprovadamente capazes de proporcionar alegria imediata. Tirá-los do dia a dia parece impossível? Então, a palavra é moderação! 

Hummmm…que vontade de comer um doce! Se essa frase é comum no seu dia a dia, saiba que você está com a maioria dos mortais que não resiste à tentação das açucaradas guloseimas. Para muita gente, são elas as vilãs da boa saúde física, e manter-se longe de bolos, chocolates e outras delícias é uma das tarefas mais desafiadoras. Mas de onde vem essa vontade recorrente de comer alguma coisa doce?

Soma-se ao paladar mais que agradável, alguns diriam incomparável, o fato deste tipo de alimento ser fonte de reposição imediata de energia. Eles são facilmente digeridos e produzem uma sensação rápida, porém pouco duradoura, de saciedade.

Além disso, existem explicações bastante aceitas para justificar tanta atração. Uma delas é que a sensação de satisfação e prazer imediatos após deliciar-se está relacionada aos níveis de serotonina, um neurotransmissor que atua no cérebro e promove a sensação de bem-estar e saciedade. Segundo os endocrinologistas, o consumo de doces é capaz de aumentar a disponibilidade de triptofano, que se converte em serotonina, substância que atua na alteração do humor.

SEM EXAGEROS

Como nem tudo é perfeito, o açúcar refinado, a sacarose, presente em grande quantidade na maioria das guloseimas, é extremamente calórico e não tem benefício nutricional algum relevante. E tem mais: a ingestão de açúcar e gordura em excesso favorece o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes e hipertensão. Isso quer dizer, sim, que os doces devem ser consumidos moderadamente, sobretudo para quem quer emagrecer e/ou ter uma alimentação saudável e balanceada.

O que fazer para evitar exageros? 

Permitir-se comer eventualmente! Restrição demais pode ter efeito contrário e levar aos exageros. É importante ter flexibilidade nos hábitos alimentares e ceder a algumas tentações.

Isso quer dizer que excluir os doces completamente do cardápio não é a melhor opção. As dietas não devem ser restritivas. O ideal é priorizar a ingestão de alimentos menos calóricos e mais saudáveis. É essencial garantir a adequada ingestão de calorias e o balanceamento nutricional, mas não se pode proibir o consumo de nada, incluindo-se aí a doce mania dos doces.

DOCE PERIGO

Existem casos em que em vez de prazeroso, o consumo de doces passa a ser exagerado e transforma-se em compulsão. Entre outras razões, porque o excesso no consumo de guloseimas pode ser traduzido por ansiedade, tristeza, estresse, ou, até mesmo, depressão. Muitas pessoas os transformam numa válvula de escape para os seus problemas, fazendo deles uma automedicação para sentimentos depressivos. 

Muitas vezes, o alívio provocado pela comida impede a reflexão e identificação de problemas. É importante estar atento para perceber o que faz desencadear a compulsão em comer e procurar tratamento adequado com um psicólogo ou psiquiatra.

A vontade de comer uma guloseima é muito diferente da compulsão, que tem como principal característica a perda do controle sobre o próprio comportamento com certa frequência. A compulsão alimentar é caracterizada por uma ingestão de grandes volumes de alimentos, seguido, geralmente, de uma sensação de culpa. Sentimos prazer ao nos alimentarmos e temos vontade de comer coisas gostosas. Isso não deve ser confundido com comportamento compulsivo e é saudável desde que aconteça de forma moderada.

DOCES FITNESS

Doces fitness são uma boa opção para compor uma alimentação balanceada. Mas para que sejam funcionais, eles precisam trazer em sua composição ingredientes saudáveis e naturais, como fibras, gorduras boas e macronutrientes (proteínas, carboidratos e lipídeos) e devem ser livres de conservantes. LEIA MAIS SOBRE clicando aqui.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *