Alho Negro

Alho Negro: confira todo seu poder!

Que tal substituir em sua rotina alimentar um alho com sabor mais agradável, adocicado, com textura mais macia e com o dobro de substâncias antioxidantes, que reduzem os níveis de colesterol e contribuem para a prevenção de cânceres? Eis o alho negro: um superalimento que vem ganhando presença na mesa dos brasileiros e na alta gastronomia para a preparação de massas, peixes e até sobremesas.

Resultado do alho comum submetido a um processo de autofermentação a uma temperatura contínua em torno de 65ºC a 70ºC, por um período de 30 a 40 dias, escurece aos poucos adquirindo ao final do procedimento uma coloração escura. “A ciência já identificou cerca de 30 propriedades terapêuticas”, afirma a nutricionista Madalena Vallinoti.

Rico em vitaminas A, B1, B2 e C, além de minerais como cálcio, enxofre, iodo, magnésio, selênio, sódio, zinco e germânio, o alho negro contribui para desintoxicação do organismo, desempenhada pelo fígado, e é benéfico para a diminuição dos sintomas da TPM (Tensão Pré-Menstrual), uma vez que alivia alguns de seus sintomas, como as dores de cabeça, as da região lombar e mamas.

Além disso, ainda de acordo com Vallinoti, o alho apresenta benefícios para a saúde cardiovascular e sistema imunológico, aliviando quadros de gripe e ajudando o corpo a se recuperar mais rapidamente. “O alho negro tem ação protetora nas doenças cardiovasculares, porque auxilia na diminuição dos níveis de colesterol sanguíneo, assim como da pressão arterial, dilatando os vasos e facilitando a circulação.”, esclarece.

E quando se classifica o alho negro como um superalimento é porque há muitos outros benefícios além dos que já foram citados. Por exemplo, ele também diminui os níveis de glicose no sangue e dá uma mãozinha àqueles que lutam contra a balança, por ter ação termogênica, acelerando o metabolismo e facilitando o emagrecimento.

Para obter todas as benesses elencadas, a nutricionista sugere consumir, no mínimo, três dentes de alho por dia, nas refeições, e aponta que não existe uma quantidade, em medida ou porção considerada excessiva, porém, há de se considerar a tolerância e sensibilidade individual para a ingestão.

Se você quer experimentar a iguaria, saiba que a maneira mais apropriada de consumir o alho negro é em sua forma crua e bem amassada para preservar suas propriedades terapêuticas. Vallinoti diz que não há problema em misturá-lo a outros temperos, mas salienta que pode haver comprometimento da palatabilidade, dependendo das combinações realizadas. Ou seja, um sabor não muito agradável, quando misturado a outros outros temperos, haja vista que o alho negro possui aroma de frutas e tem um gosto que se assemelha ao de ameixas, tâmaras e figos secos, com um toque cítrico.

Sua utilização ainda não se popularizou no Brasil e uma das prováveis razões está no preço do alho negro no mercado, que pode variar de 10 a 12 vezes mais do que o alho branco ou roxo.

ASPECTOS IMPORTANTES DO ALHO NEGRO

  1. A aparência externa pode ir da cor escura, queimada e machada à cinza clara;
  2. A cor do dente varia de marrom muito escuro à preta, desbotando em contato com óleos, azeites e vinagres;
  3. Os aromas vão dos extremamente frutados e cítricos aos neutros;
  4. A textura apresenta-se de mole e pegajosa a emborrachada.

DICAS NUTRITIVAS E APETITOSAS

  1. Ao preparar um risoto de camarão, finalize-o com alho negro;
  2. Ao preparar uma pizza caseira, com massa integral, cubra-a depois de pronta (pré-assada) com abobrinhas grelhadas, alho negro e muçarela de búfala.

Leia também: Alimentação Saudável em diferentes idades.