Risco de transmissão do Covid na água da piscina é baixo

Risco de se contaminar com Covid, na água da piscina, é “incrivelmente baixo”, de acordo com estudo de virologistas.

Água da piscina pode inativar o vírus Sars-Cov-2 em apenas 30 segundos, nas condições certas, revela estudo de virologistas do Imperial College of London encomendado pela Swim England.

O estudo sobre a água da piscina foi realizado pela principal virologista e especialista em vírus respiratórios, a professora Wendy Barclay, em parceria com o pesquisador associado doutor Jonathan Brown e a técnica de pesquisa Maya Moshe, do Imperial College, com projeto gerenciado por Alex Blackwell, chefe de piscinas e instalações da empresa Water Babies.

Foram analisados os efeitos da água da piscina no vírus para avaliar a quantidade de tempo e contato necessários para desativá-lo em diferentes níveis de cloro e pH. A pesquisa estabeleceu que 1,5 mg por litro de cloro livre com um pH entre 7-7,2 reduziu a infectividade em mais de 1000 vezes em 30 segundos.

Testes adicionais de diferentes faixas de cloro livre e pH confirmaram que o cloro na água da piscina foi mais eficaz com um pH mais baixo – o que está de acordo com as orientações atuais para a operação da piscina.

“Ao misturar o vírus com a água da piscina que nos foi entregue pela equipe Water Babies, pudemos mostrar que ele não sobrevive na água da piscina, não era mais infeccioso. Isso, juntamente com o enorme fator de diluição do vírus que pode entrar em uma piscina de uma pessoa infectada, sugere que a chance de contrair o Covid-19 a partir da água da piscina é insignificante”, esclarece Barclay.

Paul Thompson, fundador da Water Babies, disse: “Estamos empolgados com essas descobertas enquanto nos preparamos para reiniciar nossas aulas e planejamos receber de volta as famílias em piscinas cobertas em todo o país. Sabemos que a natação tem vários benefícios para a saúde física e mental para crianças e adultos de todas as idades e estamos ansiosos para que nossas aulas sejam reiniciadas”.

A reportagem completa e demais detalhes sobre a pesquisa podem ser verificados no link ao final deste conteúdo, que replicou a tradução de alguns parágrafos.

Na ACM, o tratamento da água das piscinas é realizado com filtros de areia, que funcionam 24 horas por dia retirando as partículas suspensas da água, que levam de quatro a seis horas para a filtragem total.

E, assim como na Water Babies, utiliza-se o cloro, porque ele ainda é o melhor desinfetante, possui poder residual, eliminando qualquer agente contaminante, de forma rápida, como bem apontado na pesquisa divulgada.

Benefícios da Natação

Quem pratica uma ou mais atividades aquáticas adquire equilíbrio, flexibilidade, alongamento, força, velocidade, ritmo, controle respiratório, resistência cardiorrespiratória, coordenação motora, aumento da capacidade aeróbia e anaeróbia, fortalecimento muscular e condicionamento físico, além dos benefícios no aspecto psicossocial.

Psicologicamente, uma atividade aquática tem a tendência de elevar a autoestima de quem a praticaaliviar os níveis de estresse e proporcionar mais disposição enfrentar as atividades do dia a dia.

No aspecto social, há a ampliação das relações interpessoais e consequente aumento dos laços de amizade e interesse em compartilhar experiências e ideais.

Nas unidades da ACM São Paulo, o acemista a partir dos 06 (seis) meses de idade* tem acesso a aulas de Natação e, dos 14 anos em diante, pode fazer também Hidroginástica.

Toda e qualquer atividade aquática oferece menor risco de lesõesestimula a musculatura do corpo e mantém o tônus muscular e ainda promove a recuperação de várias enfermidades.

*A partir dessa idade, aulas somente nas ACMs: Pinheiros, Norte, Osasco, São José Campos e Alphaville; com 01 ano de idade, somente na ACM Lapa;  Natação infantil, a partir dos 03 anos, em todos as demais unidades. 

_________________________________

Swim England – instituto de natação da Inglaterra – trabalhou em colaboração com a empresa Water Babies (natação infantil) e a Royal Life Saving Society UK (RLSS UK) para encomendar esse estudo e fornecer o contexto e materiais para a pesquisa.

Clique aqui para ler o texto original da reportagem da Swim England, que também foi replicada pela Associação Brasileira de Academias (ACAD).

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *