Comemoração chegou ao País em 1918, por iniciativa da Associação Cristã de Moços, e faz parte do calendário oficial desde 1932

Em 14 de maio, próximo domingo, será comemorado o “Dia das Mães”, uma data exclusiva para celebrar o dom da maternidade. Mas você sabe por que tal celebração existe? Como e quando surgiu? Quem a instituiu no calendário oficial do Brasil?

A data começou a ser comemorada em 1908, no estado de West Virginia, Estados Unidos, por intermédio de Anna M. Jarvis que,  após perder sua mãe, decidiu fazer uma celebração particular com alguns amigos, para homenageá-la. Depois dessa cerimônia, Anna percebeu que a homenagem deveria se estender a todas as mães. E foi exatamente o que ocorreu.

Inicialmente, a comemoração era prestada de forma delicada, por meio do simbolismo de dois cravos: vermelho e branco. O de cor vermelha seria usado na lapela da roupa por aqueles cujas mães estivessem vivas, ao passo que os filhos órfãos se apresentariam usando um cravo branco. A sugestão foi bem acolhida, na época, e, rapidamente, se espalhou pela América.

Em terras brasileiras, o Dia das Mães chegou no ano de 1918, graças ao sr. Frank Long, então Secretário-Geral da ACM / YMCA Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Aos poucos, a festividade passou a ser divulgada, até ser consolidada como uma das principais comemorações no País. Em São Paulo, também pelo empenho da ACM, o dia começou a ser comemorado em maio de 1921, três anos depois de chegar ao Brasil. Mas a oficialização da data, no calendário brasileiro, ocorreu, de fato, somente em 1932, por meio do Decreto nº 21.366, do então presidente da República, Getúlio Vargas.

Orgulhe-se! Você faz parte de um Movimento Internacional que respeita e homenageia as mamães há mais de um século.

Feliz Dia das Mães, acemistas!